O Governo da Indonésia confirmou neste sábado (25), que brasileiro condenado à morte no país por tráfico de drogas será executado.

A família do paranaense Rodrigo Muxfeldt Gularte foi informada oficialmente hoje. A data da execução, no entanto, ainda não foi anunciada.
Segundo informações, a lei indonésia prevê que os presos sejam informados com 72 horas de antecedência, o que foi feito. Com isso, a pena poderá ser cumprida a partir de terça-feira (28).

Rodrigo Gularte, de 42 anos, foi preso em julho de 2004 após tentar entrar na Indonésia com 6kg de cocaína escondidos em pranchas de surfe. O paranaense foi condenado à morte em 2005.

A família do condenado tentava convencer as autoridades de uma reversão da pena, após ele ter sido diagnosticado com esquizofrenia. Após avaliações médicas realizadas em março, nenhum resultado foi divulgado.

Apesar dos pedidos de clemência por parte da presidente Dilma Rousseff, do primeiro-ministro da Austrália, Tony Abbott, e do presidente da França, François Hollande, o líder indonésio, Joko Widodo, reiterou a firmeza de seu governo contra o narcotráfico e descartou todas as solicitações.

Gularte poderá ser o segundo brasileiro executado na Indonésia. Em janeiro, Marco Archer Cardoso Moreira foi fuzilado após ser condenado, também, por tráfico de drogas.

A Indonésia, que retomou as execuções de réus em 2013, mantém 133 prisioneiros no corredor da morte, 57 acusados por tráfico de drogas, dois por terrorismo e 74 por outros crimes.